Os reis de Portugal da 1ª Dinastia

Conheça os reis que governaram Portugal durante a primeira dinastia

A primeira dinastia também conhecido como Afonsina ou de Borgonha, foi fundada por D. Afonso Henriques, que se proclamou rei em 1139, e continuou até D. Fernando I, que morreu em 1383, dando origem a uma crise de sucessão que só se resolveu com o surgimento de uma nova linha sucessória.

Silves, uma sangrenta conquista

Silves era uma importante cidade muçulmana e foi tomada e perdida pelos cristãos antes de ser de novo conquistada. Na primeira vez que os portugueses ocuparam a cidade contaram com ajuda de cruzados estrangeiros que deixaram um rastro de morte.

Martim Moniz, uma lenda que "ajudou" a conquistar Lisboa

A conquista de Lisboa está associada à lenda de Martim Moniz. O cavaleiro que morreu entalado entre portas impedindo que estas se fechassem para permitir a passagem dos cavaleiros de Afonso Henriques. Mas será que há algum fundo de verdade neste episódio?

Castelo de Alcácer do Sal: a grande conquista de Afonso II

Cristãos e muçulmanos travaram sangrentas batalhas para dominar esta fortificação estratégica na defesa do Alentejo. O castelo de Alcácer do Sal só ficou definitivamente português em 1217, no reinado de Afonso II. O apoio dos cruzados determinou a vitória.

D. Afonso II, O Gafo

D. Afonso II (1185-1223), também ficou conhecido como o rei que foi gafo, expressão utilizada para identificar os leprosos, doença que o atacou e deformou. Os primeiros tempos do seu reinado ficaram marcados por conflitos internos com as irmãs e com a grande nobreza. Foi um monarca preocupado com a gestão e organização do reino, implementando um conjunto de leis gerais para assegurar a governação.

D. Afonso Henriques, O Fundador

Sobre D. Afonso Henriques (1109?-1185) existem mais dúvidas do que certezas. Não se sabe, por exemplo, a data ou o local de nascimento do primeiro monarca português. Sabe-se assumiu a liderança do Condado Portucalense após vencer, em 1128, a Batalha de S. Mamede contra as forças de sua mãe, D. Teresa, aliada do Reino de Leão. Em 1139, proclamou-se rei, sendo reconhecido como tal, pelo Papa, em 1179.

D. Sancho I, O Povoador

D. Sancho I (1154-1212) continuou a política de expansão do reino, chegando a conquistar Silves e Albufeira, no Algarve, praças que voltaria a perder. Foi o primeiro monarca a utilizar o título de Rei de Portugal e dos Algarves. Guerreou muçulmanos e cristãos. Preocupou-se com a reorganização administrativa do território e com a criação de condições para o povoamento das várias áreas do reino.

D. Sancho II, O Capelo

D. Sancho II (1209-1248) teve um reinado atribulado e turbulento que terminou com a entrega do reino ao irmão mais novo, D. Afonso III. Tinha herdado o trono ainda criança após a morte do pai, D. Afonso II. A tenra idade de D. Sancho deixou o reino aberto a diversos abusos, nomeadamente pela nobreza. As manifestações populares e a intervenção do clero, nomeadamente do Bispo de Braga, levam à intervenção do Papa que lhe retira a coroa.

D. Afonso III, o Bolonhês

D. Afonso III (1210-1279) era o segundo filho de D. Afonso II e só foi coroado por ordem do Papa Inocêncio IV, que afastou o irmão D. Sancho II. Conquistou o restava em mãos muçulmanas no Algarve e foi considerado um bom administrador.

D. Dinis, o Lavrador

D. Dinis (1261-1325) foi coroado em 1279. Foi considerado um administrador hábil e tentou fomentar a atividade económica. Incentivou a mineração, protegeu as exportações, a agricultura, o comércio e fez crescer a marinha.

D. Afonso IV, O Bravo

D. Afonso IV (1291-1357) envolve-se, por duas vezes, em guerras com o meio-irmão, que expulsa do país depois de ser proclamado rei em 1325. Mais tarde entra em guerra com Castela, governada pelo genro. Ficou também conhecido por ter mandado assassinar D. Inês de Castro.

Launch
Copy this timeline Login to copy this timeline 3d